Doce sabor da tecnologiavoltar

Publicado em : 10/07/2017
Doce sabor da tecnologia

Volvo lança o caminhão VM Autônomo, desenvolvido no Brasil, voltado especialmente para uso em colheitas de cana-de-açúcar

LUIZ HUMBERTO PEREIRA
AUTO PRESS

Em um Brasil politicamente conturbado e economicamente fragilizado, o agronegócio não para de surpreender – e de mostrar sua força. Para atender as demandas específicas de um grande produtor paranaense do segmento sucroalcooleiro, a Volvo acaba de fazer o lançamento do primeiro caminhão autônomo produzido no Brasil já testado numa operação real e comercialmente viável: o VM Autônomo.

Criada no Brasil a partir de tecnologias disponíveis globalmente no Grupo Volvo, a versão com tecnologia autônoma do caminhão semipesado foi projetada para eliminar a perda de produtividade provocada pelo pisoteio de soqueiras (brotos) pelo caminhão durante a colheita da cana. Segundo os produtores do setor, o problema é responsável por prejuízos que chegam a quase 10% da produção anual de cana-de-açúcar. E a utilização do caminhão autônomo pode eliminar 4% dessa perda. “Este lançamento vai revolucionar o transporte no agronegócio brasileiro, um dos mais competitivos do mundo”, comemora Wilson Lirmann, presidente do Grupo Volvo América Latina.

O novo caminhão foi desenvolvido em pouco mais de um ano e testado nas lavouras da Usina Santa Terezinha, do Grupo Usacucar, sediado em Maringá, no Paraná. Graças a um sistema que combina sensores, radares, GPS e controles eletrônicos de direção e velocidade, o semipesado consegue rodar ao longo das linhas da plantação, ao lado das colheitadeiras, sem passar por cima das soqueiras, com uma precisão de 2,5 cm.
Geomapeamento digital é a referência do novo veículo
O VM Autônomo foi desenvolvido pelos engenheiros da Volvo no complexo industrial da empresa em Curitiba, no Paraná, em colaboração com os especialistas da marca na Suécia e com os técnicos da Usina Santa Terezinha. Depois de o mapa digital do canavial ser inserido no computador de bordo do caminhão, o sistema reconhece precisamente as linhas da plantação.

O papel do condutor é levar o veículo até o início da linha na lavoura, encontrando a rota a ser seguida, e depois retirá-lo da plantação para fazer o transbordo nos veículos de transporte que levarão a carga até a usina de açúcar. O modelo desenvolvido para a colheita da cana-de-açúcar mecanizada é um caminhão de 6x4 eixos, com pneus de alta flutuação, mas dotado de outros modernos equipamentos.

O sistema autônomo do VM é composto por duas antenas GPS de alta precisão, parte do sistema de esterçamento VDS (Volvo Dynamic Steering), dois giroscópios de alta sensibilidade e um display posicionado no interior da cabine do caminhão, que funciona como interface homem-máquina.

Além de parte do VDS da Volvo Trucks, o novo veículo assimilou o Co-Pilot da Volvo Construction Equipment e também dispositivos da Volvo Penta e da Volvo Bus, respectivamente, para o posicionamento do caminhão nos mapas e para a integração na arquitetura eletrônica do veículo. O semipesado autônomo da Volvo utiliza a tecnologia RTK (Real Time Kinematics) para geolocalização, usando unidades de medição de inércia, os chamados “giroscópios”.

“O novo VM resolve o problema de precisão, que é humanamente impossível de conseguir, inclusive nas manobras em marcha à ré”, complementa Roberson Oliveira, gerente de projeto de engenharia avançada do Grupo Volvo América Latina.

 


Fonte: O Tempo
  • Imprima
    esse Conteúdo
  • Envie para
    um amigo
  • Compartilhar
    o conteúdo
  •  
  •  
  •  
  •  
  •