Manejo natural de nematoidesvoltar

Publicado em : 05/09/2017
Manejo natural de nematoides
Raiz de cana-de-açúcar atacada por nematoides

Estimativas apontam que o Brasil perde, anualmente, 15% de sua produção por causa dos nematoides

No conceito de manejo natural de nematoides, o primeiro passo é a identificação da espécie infestante. Este processo pode ser feito no laboratório ou na própria unidade produtiva. O primeiro indicativo da presença de nematoides é a baixa produtividade numa área que deveria estar produzindo bem mais. Se adubou corretamente, utilizou os defensivos necessários, o solo não tem deficiência e, mesmo assim, a área não responde, é certeza de que ali tem nematoides. “Neste momento, a equipe de campo deve ir ao local e fazer uma análise visual das raízes, que indicará se ela está infestada por uma espécie de Meloidogyne ou de Pratylenchus”, aconselha o pesquisador Jaime Maia.

O passo seguinte é realizar - ao menos nas áreas altamente infestadas - a rotação de culturas, grande aliada no combate a estas pragas, já que algumas culturas possuem efeito supressor de nematoides. Porém, é preciso saber qual material plantar, pois existem também aquelas plantas que são fontes de alimentos, que impulsionam o problema em vez de atenuá-lo. “Usou-se muito Mucuna preta no passado, mas ela controla apenas a Meloidogyne incognita, não possuindo efeito algum em outras espécies. O mesmo ocorre com algumas cultivares de soja”, alerta Maia, salientando que entre as armas mais poderosas destacam-se a Crotalaria spectabilis e a Crotalaria breviflora, que controlam todas as quatro espécies de nematoides em cana devido ao fato de possuírem uma substância que mata por ingestão, levando a praga a morte no momento em que bica a raiz. “Lembrado que, independente da cultura escolhida, é essencial realizar o tratamento de sementes com algum nematicida.”

Outra medida que deve ser adotada é a descompactação do solo. Maia explica que em um solo compactado, a raiz não se aprofunda no perfil, criando uma oportunidade perfeita para os nematoides, que gostam da camada mais superficial, onde existe mais oxigênio. A limpeza de máquinas que transitam de um canavial para outro, o que inclui plantadoras, colhedoras e, até mesmo, carros de funcionários, também é essencial para evitar novas contaminações. “Esses veículos levam terra com presença de nematoides nos pneus, assoalhos e engrenagens, sendo que basta apenas um pequeno torrão para infestar uma nova região. Para impedir que isso ocorra, basta jogar um jato de água para desalojar a terra. Não precisa adicionar produtos, apenas a pressão é suficiente.”

A enxurrada também é responsável pela disseminação de nematoides, observa o pesquisador. “Na soja, por exemplo, o início de problemas com nematoides ocorre sempre nas margens das estradas. Para evitar isso, devem ser feitas bacias sucessivas ao longo das rodovias a fim de impedir que a água da rodovia corra para a lavoura.”
Veja matéria completa na edição 45 da revista Digital CanaOnline. No site www.canaonline.com.br você pode visualizar as edições da revista ou baixar grátis o pdf.
Mas se quiser ver a edição com muito mais interatividade ou tê-la à disposição no celular, baixe GRÁTIS o aplicativo CanaOnline para tablets e smartphones - Android ou IOS.


Fonte: CanaOnline
  • Imprima
    esse Conteúdo
  • Envie para
    um amigo
  • Compartilhar
    o conteúdo
  •  
  •  
  •  
  •  
  •