Meirelles apresenta no Ethanol Summit a oportunidade do biogás para as usinas de cana-de-açúcarvoltar

Publicado em : 29/06/2017
Meirelles apresenta no Ethanol Summit a oportunidade do biogás para as usinas de cana-de-açúcar

Meirelles apresentou também dados que demonstram a gradual recuperação do setor, com o aumento do consumo do etanol e geração de bioeletricidade

O secretário de Energia e Mineração de São Paulo, João Carlos Meirelles, participou nesta terça-feira, 27 de junho, do debate “30 Anos de Bioeletricidade: Realizando o Potencial”, durante o Ethanol Summit organizado pela UNICA. O painel contou com a presença do secretário-executivo do Ministério de Minas e Energia, Paulo Pedrosa, do diretor geral do Operador Nacional do Sistema – ONS, Luis Eduardo Barata, além de representantes da iniciativa privada.

Meirelles destacou o programa de complementaridade do biometano da cana-de-açúcar para ser utilizada não apenas no período da safra. “Com a produção do biometano pelas usinas e a conexão delas com a rede de gás canalizado, teríamos uma aumento na geração de energia nos quatro meses de entressafra. Nos oito meses restantes, o excedente é vendido para a rede”, explica Meirelles.

Já está em curso um projeto da Secretaria de Energia e Mineração, em parceria com as distribuidoras de gás natural do Estado, para fomentar as usinas a se conectarem à rede e produzirem o biometano. Atualmente, existem 201 usinas de biomassa no Estado, sendo que 66 estão a 20 km de distância da rede de gás, o que significa uma nova oportunidade de negócio.

Meirelles destacou também a oportunidade de introduzir o biometano nos caminhões que transportam a cana dentro dos canaviais, transformando-os em veículos flex: diesel/gás. A produção de uma tonelada de cana necessita de quatro litros de diesel. Com a safra de cana 2016/2017 sendo de 684,77 milhões de toneladas, teríamos uma economia de 1,3 bilhão de litros de diesel por safra. Isso significa uma forte redução nas emissões de CO2.

Meirelles também destacou o papel da bioeletricidade de São Paulo, as ações do Governo Estadual e os desafios para o aproveitamento do potencial da bioeletricidade e dos biocombustíveis.

“São Paulo é líder nacional na produção de energia elétrica a partir da biomassa de cana-de-açúcar. Nos últimos 10 anos registramos um crescimento de 40% na produção de biomassa e atualmente temos uma capacidade instalada de 5,85 GW nesse setor”, explica.

São Paulo já consome mais etanol hidratado e anidro do que gasolina e o Brasil está seguindo o mesmo caminho.

Pedrosa destacou o papel do Governo no setor. “Não podemos ter um Estado intervencionista. Temos que ser pragmáticos e a energia de biomassa é vencedora nesse processo. As energias renováveis serão a expansão do futuro, suportado pelo gás natural”.

Segundo o diretor geral do Operador Nacional do Sistema – ONS, Luis Eduardo Barata, apesar do Brasil ter uma geração hidrelétrica relevante, a expansão de outras fontes renováveis são fundamentais por serem limpas, baratas e próxima do consumo. “A biomassa apresenta uma vantagem em relação a solar e a eólica. Ela não é intermitente apesar da safra ser de oito meses”, afirmou.

Barata destacou a importância das energias limpas do futuro. “A geração de energia dos próximos anos serão as renováveis”, disse.

O diretor de Estudos de Petróleo, Gás e Biocombustíveis da EPE – Empresa
de Pesquisa Energética, apresentou as características da bioeletricidade e a sua participação na matriz energética nacional. “A complementaridade da biomassa se dá no período de escassez hídrica, o que a torna extremamente relevante”, destaca.

O diretor executivo da Excelência Energética, Erik Rego, falou sobre as ações que podem ser adotadas para que os leilões de energia tenham sucesso e possam ter a geração de energia de biomassa. “As empresas precisam ter previsibilidade do valor da energia do próximo leilão”, afirma.

Já o diretor industrial da Usina São Francisco, Jairo Balbo, mostrou as ações do grupo empresarial e como pode ampliar o uso da biomassa na geração de eletricidade.

Sobre o Ethanol Summit

Lançado pela União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA) em 2007 e realizado a cada dois anos, o Ethanol Summit é um dos principais eventos do mundo voltados para as energias renováveis, particularmente o etanol e os produtos derivados da cana-de-açúcar.

O encontro reúne empresários, autoridades de diversos níveis governamentais, pesquisadores, investidores, fornecedores e acadêmicos do Brasil e do exterior. Os participantes acompanham quase uma centena de palestras, apresentações, discussões e debates que acontecem em grandes plenárias, painéis temáticos e cerimônias de abertura e encerramento, além de eventos paralelos.


Fonte: Secretaria de Energia e Mineração
  • Imprima
    esse Conteúdo
  • Envie para
    um amigo
  • Compartilhar
    o conteúdo
  •  
  •  
  •  
  •  
  •