Milho perde R$ 406 milhões em valor e perde posição para canavoltar

Publicado em : 16/08/2017
Milho perde R$ 406 milhões em valor e perde posição para cana

Mesmo com estimativa recorde de produção, o milho contabiliza o menor VBP (Valor Bruto da Produção) dos últimos sete anos e perde para a cana-de-açúcar o posto de segundo colocado entre os produtos das lavouras de Mato Grosso do Sul. De acordo com o Mapa (Ministério da Agricultura, Abastecimento e Pecuária), o grão deve render o total de R$ 3,43 bilhões em 2017. São R$ 406,3 milhões a menos em relação à cifra do ano passado.

Em números relativos, a retração do VBP do milho de Mato Grosso do Sul é de 10,5% – em 2016, o valor fora de R$ 3,83 bilhões. Já a comercialização da cana-de-açúcar deve proporcionar receita bruta total de R$ 5,34 bilhões, alta de 45% sobre os R$ 3,68 bilhões do ano anterior.

Pelo histórico do Mapa, o último ano em que o VBP da cana superou o do milho foi em 2011, quando foram, respectivamente, de R$ 2,6 bilhões e R$ 2,16 bilhões. Desde então, o cereal registra sequência ininterrupta como o segundo produto de lavouras com maior valor de Mato Grosso do Sul, atrás apenas da soja, que é líder absoluta em toda série histórica.

Colheita de cana em MS; produto tem o segundo maior valor entre as lavouras (Foto: Lucimar Couto)Colheita de cana em MS; produto tem o segundo maior valor entre as lavouras (Foto: Lucimar Couto)
Enquanto o valor da cana, neste ano, é o maior da série, iniciada em 2008, o do milho é o menor desde 2011. O melhor resultado foi o de 2015, quando o VBP do grão somou R$ 4,89 bilhões. Frente a esse número, a cifra deste ano despencou 30%.

Isso ocorre mesmo com projeção de recorde na colheita de milho. De acordo com o 11º levantamento da Conab (Companhia Nacional de Abastecimento), divulgado no dia 10 deste mês, Mato Grosso do Sul deve produzir 9,41 milhões de toneladas de milho na segunda safra deste ano. O volume é 53,7% superior aos 6,12 milhões de toneladas colhidos no ano passado e o maior de toda série histórica da Conab, iniciada em 1989.

O problema está no preço, decorrente da combinação entre elevada oferta e câmbio desfavorável. Dados do site Agrolink mostram que a cotação do milho (saca de 60 quilos), na média deste mês, está em R$ 15,90 em Mato Grosso do Sul. Esse valor é 55% inferior à média de R$ 35,57 de igual período do ano passado.

Milho perde R$ 406 milhões em valor e perde posição para cana
Outros – No total, os produtos agropecuários de Mato Grosso do Sul devem movimentar R$ 28,01 bilhões neste ano. Desde montante, R$ 18,69 bilhões serão gerados pelas lavouras e R$ 9,31 bilhões pela pecuária.

A soja lidera a relação, com VBP de R$ 8,59 bilhões, embora esse valor seja inferior ao do ano passado (R$ 8,66 bilhões).

Mais crítica é a situação da pecuária bovina. O segundo principal produto das atividades rurais do Estado deve proporcionar receita bruta de R$ 6,95 bilhões, o menor valor desde 2013 (R$ 6,59 bilhões).

O frango, quinto mais importante produto do Estado em valor, poderá ter VBP, neste ano, de R$ 1,56 bilhão, abaixo dos R$ 1,74 bilhão contabilizados em 2016.

 


Fonte: Campo Grande News
  • Imprima
    esse Conteúdo
  • Envie para
    um amigo
  • Compartilhar
    o conteúdo
  •  
  •  
  •  
  •  
  •