No controle de Sphenophorus levis, eficiência da aplicação cortando a soqueira é superior à do jato dirigido superficialvoltar

Publicado em : 03/10/2017
No controle de Sphenophorus levis, eficiência da aplicação cortando a soqueira é superior à do jato dirigido superficial
Gráfico corte de soqueira – Comparativo entre modalidades de jato dirigido x corte de soqueiras

Quando a porcentagem de tocos atacados se estabiliza abaixo de 5%, as aplicações poderão ocorrer apenas em anos alternados

Nas áreas com cana que apresentam a porcentagem de tocos atacados inferior a 30% não precisam, necessariamente, ir para reforma, mas devem receber um tratamento de soqueira em área total. O ideal neste momento é aplicar o inseticida na modalidade de corte de soqueira.

Esta é uma técnica amplamente defendida no setor. Estudiosos afirmam que a aplicação em jato dirigido (superficial) possui certas vantagens em relação ao corte de soqueira, como ganho logístico e menores custos, porém, sua eficiência de controle é baixa, pois o que torna o corte de soqueira a melhor alternativa é o fato de ser colocado próximo a praga. Existe ainda a questão sustentável, pela menor quantidade de água utilizada na aplicação, que varia de 100 a 150 litros por hectare.

Uma das primeiras empresas a defender a aplicação cortando a soqueira foi a BASF, detentora do Regent Duo, produto desenvolvido exclusivamente para o manejo do Sphenophoruslevis. O inseticida possui duas moléculas com ações distintas e complementares. A primeira promove o efeito de choque, que desaloja e elimina os adultos presentes na área. Já a segunda, quebra o ciclo da praga por gerações. “O Regent Duo controla tanto a fase larval da praga, quanto a adulta, além de agir, também, sobre as fêmeas, inclusive durante a oviposição”, afirma o engenheiro agrônomo de desenvolvimento de mercado da BASF, Daniel Medeiros.

Medeiros salienta que o fato de o produto contar com um longo residual, que quebra o número máximo de gerações possíveis, faz do Regent Duo o melhor produto para o controle de Sphenophorus, “ainda mais num ano em que o ciclo da praga foi acelerado”. Uma vez em que a porcentagem de tocos atacados se estabilize abaixo de 5%, as aplicações poderão ocorrer apenas em anos alternados, o que reduzirá significativamente os custos do processo.

De acordo com Medeiros, quando aplicado no sulco de plantio, o Regent Duo também possui eficiência no controle de outras pragas de solo, como cupins e Migdolus, e efeito agregado em broca-da-cana, saúva e cigarrinha-das-raízes, que também causam grandes prejuízos ao setor.

Veja matéria completa na editoria Fitotécnico, na edição 46 da revista Digital CanaOnline. No site www.canaonline.com.br você pode visualizar as edições da revista ou baixar grátis o pdf.
Mas se quiser ver a edição com muito mais interatividade ou tê-la à disposição no celular, baixe GRÁTIS o aplicativo CanaOnline para tablets e smartphones - Android ou IOS.


  • Imprima
    esse Conteúdo
  • Envie para
    um amigo
  • Compartilhar
    o conteúdo
  •  
  •  
  •  
  •  
  •