Performance da indústria em tempo realvoltar

Publicado em : 07/09/2017
Performance da indústria em tempo real

Garantir uma operação sustentável, inteligente e produtiva. Essas são as metas de toda e qualquer empresa que preze pelo sucesso operacional de seus processos. Alcançar o equilíbrio entre esses três pilares, no entanto, é um caminho que requer empenho e esforços, investimentos e aposta em inovações tecnológicas. A velocidade intrínseca a excelência do processo produtivo que envolve o setor sucroenergético é um decisivo fator de êxito.

É preciso ser ágil com o controle e monitoramento das variáveis essenciais no campo e na indústria, mas é a partir da transformação desses dados em uma análise estratégica que é possível tomar decisões assertivas.

É nesse contexto que não podemos medir esforços em tecnologias que nos auxiliem no constante acompanhamento da produção. Um grande exemplo para o setor é o Pentágono, uma estratégia desenvolvida pela Raízen para controlar desde a preparação do solo para plantio da cana-de-açúcar até o produto final nas unidades produtoras, trabalhando de ponta a ponta.

Com o monitoramento em tempo real das unidades, 24 horas por dia, alcançamos melhor eficiência energética e alta performance dos processos de produção, qualidade e segurança. O sistema assume duas diferentes frentes, sendo a primeira no campo e a segunda na indústria, com o propósito principal de garantir a excelência operacional de toda a cadeia produtiva da cana-de-açúcar. O ponto focal do monitoramento é feito por uma central localizada em Piracicaba.

O início da produção se dá no campo, e o trabalho e desempenho da indústria dependem dele. Na área agrícola, a função do Pentágono é monitorar desde a preparação do solo para o plantio da cana até o descarregamento na unidade produtora, centralizar e padronizar a logística de Corte, Carregamento e Transporte.

Assim, programamos e rastreamos, em tempo real, toda a movimentação em campo, como o desempenho das colhedoras e o carregamento dos caminhões ainda na lavoura. Qualquer imprevisto operacional, como a quebra de algum equipamento, é imediatamente identificado e solucionado com agilidade, garantindo a produtividade e estabilidade.

É quando os caminhões chegam às portas das unidades produtoras da Raízen que o Pentágono Industrial exerce a sua função de fornecer as diretrizes técnicas para a operação das unidades, integrando o campo à indústria. Com a junção de vários sistemas é possível visualizar a produção quase que instantaneamente e garantir a agilidade de ação imediata, assim que identificados desvios que possam oscilar os padrões de qualidade do processo produtivo.

Antes, a visão global do negócio era vista apenas 24 horas após o fechamento da operação. Hoje, ela ocorre de forma simultânea. Isso possibilita rapidez na tomada de decisões e, principalmente, antecipação. Todos os dados gerados se tornam análises estatísticas e matemáticas, a partir de correlações, para dar suporte técnico às unidades, buscando maximizar a performance.

Havendo qualquer alteração no processo produtivo, um sinal de alerta é emitido no Pentágono e uma ação é tomada em conjunto com as unidades em tempo hábil para corrigi-la. Ao contrário dos Centros de Controle Operacionais (COIs) que empresas do setor costumam utilizar, o Pentágono permite uma tomada de decisão estratégica, com base em uma visão global imediata, e não apenas operacional.

É assim que a produção de açúcar, etanol e bioenergia da maior empresa do setor é meticulosamente acompanhada, com uma visão de 360°. A performance das unidades é analisada com o intuito de permitir um ciclo contínuo, eficiente e sem interferências. Tudo isso é possível com a implantação de direcionamentos técnicos para cada uma das unidades da Raízen, de acordo com suas especificações.

Essas diretrizes dizem respeito a técnicas de engenharia, processos, análises matemáticas e estatísticas, entre outras variáveis, visando transmitir informações sobre como as unidades podem melhorar o desempenho da produção. É dessa forma que a Raízen desponta no setor e garante a eficiência do seu mix de produtos.

Os resultados de todo esse controle são visíveis. O planejamento, otimização e integração do trabalho do campo e da indústria aumentaram a produtividade de equipamentos de colheita e frota envolvida na logística, contribuindo para um menor tempo de motor ligado e ocioso, o que reduz o consumo de diesel e emissão de poluentes.

O período que os caminhões aguardavam na fila para carregar diminuiu drasticamente, bem como elevamos ainda em cerca de 13% a produtividade da colheita, a partir da equação eficiente entre evolução da produtividade das colhedoras e diminuição dos equipamentos no campo. Na área industrial, atingimos ainda um maior nível de eficiência energética.

Esses são alguns dos exemplos que demonstram que o caminho para atingir a excelência operacional é baseado em uma visão estratégica e global de todas as variáveis que envolvem o negócio, sempre trazendo análises técnicas que possam alavancar a capacidade industrial. Assim como a Raízen, que aposta e implementa tecnologias pioneiras, o investimento em inovações que possam auxiliar no dia a dia deve ser, portanto, prioridade para os agentes do setor.


*Artigo originalmente publicado na Revista Opiniões, edição de julho/setembro de 2017.


Fonte: Eduardo Calichman - Diretor Industrial Corporativo da Raízen
  • Imprima
    esse Conteúdo
  • Envie para
    um amigo
  • Compartilhar
    o conteúdo
  •  
  •  
  •  
  •  
  •