Produção de cana deve cair 2,7% em Minas Geraisvoltar

Publicado em : 14/04/2014
Produção de cana deve cair 2,7% em Minas Gerais

A produção de cana-de-açúcar em Minas Gerais deve retrair 2,7% na safra 2014/15, com o esmagamento de 59,1 milhões de toneladas ante 60,7 milhões de toneladas processadas na safra anterior, segundo do 1º Levantamento da Safra 2014/15 de Cana-de-Açúcar, elaborado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). A queda se deve às altas temperaturas e à estiagem prolongada nas áreas produtoras no primeiro trimestre. Com a escassez hídrica, a produtividade dos canaviais recuou 3,8%. A tendência, mais uma vez, é de uma safra voltada para a maior produção de etanol.

Conforme o estudo, a área de cultivo foi ampliada em 1,16%, totalizando 788,88 mil hectares. No período produtivo anterior, a área plantada era de 779,83 mil hectares.

Apesar da expansão da área, o clima desfavorável no período de desenvolvimento dacana-de-açúcar impactou negativamente na produtividade. O rendimento estimado é de 74,9 toneladas de cana por hectare, o que representa um decréscimo de 3,8% quando comparado com o volume de 77,9 toneladas registradas na safra anterior.

De acordo com os técnicos da Conab, até dezembro as condições climáticas eram favoráveis à produção, porém, em Minas Gerais, essa tendência se inverteu a partir de janeiro. A falta de chuva aliada às altas temperaturas causaram impacto na produtividade.

A expectativa é de uma safra mais alcooleira. Dos 59,1 milhões de toneladas de cana-de-açúcar a ser produzida na safra 2014/15, cerca de 33 milhões de toneladas ou 55,83% serão destinados à produção de etanol, variação negativa de 2,68%. O restante, 26 milhões de toneladas ou 44,16%, será destinada à fabricação de açúcar. O volume para produção de açúcar também ficou 2,68% inferior quando comparado com a safra passada.

O volume total de etanol a ser produzido na safra atual é de 2,6 bilhões de litros, queda de apenas 0,94% ou de 24,7 mil litros. Do total de etanol, cerca de 1,162 bilhão de litros serão de etanol anidro, o que representa um decréscimo de apenas 0,79% ou de 9,2 mil litros frente à safra anterior. O volume restante, 1,44 bilhão de litros, será de etanolhidratado, queda de 15,4 mil litros ou de 1,6%.

Já a produção de açúcar em Minas foi estimada em 3,38 milhões de toneladas. Volume que, se alcançado, ficará 0,96% menor que os 3,4 milhões de toneladas geradas na safra anterior.

Em relação ao cenário nacional, a previsão da produção é de 671,7 milhões de toneladas, segundo o levantamento da Conab, o que indica um acréscimo de 2% em relação à safra atual.

A pesquisa foi realizada em março e todas as 319 unidades de produção sucroalcooleira em atividade, situadas em todos os estados produtores, foram visitadas. A Conab faz a pesquisa junto às usinas de quatro em quatro meses.

Consultorias

A previsão da produção de cana-de-açúcar divulgada pela Conab para o país ficou acima do que algumas consultorias nacionais e internacionais vinham especulando, de acordo com a Safras & Mercado. A estiagem de janeiro e fevereiro e as altas temperaturas fizeram algumas estimativas para a produção de cana-de-açúcar do Centro-Sul mergulharem fundo rumo a até 575 milhões de toneladas, segundo algumas consultorias.

No caso da Safras & Mercado, o analista Maurício Muruci salienta que a estimativa inicial da safra de cana da consultoria para 2014/15 - divulgada em janeiro - é de 618 milhões de toneladas. Para a consultoria, a estiagem foi forte, mas de curta duração. "Os efeitos negativos da falta de chuvas podem ser revertidos ainda ao longo da safra, que vai até dezembro", avalia.


Fonte: Diário do Comércio - Belo Horizonte/MG
  • Imprima
    esse Conteúdo
  • Envie para
    um amigo
  • Compartilhar
    o conteúdo
  •  
  •  
  •  
  •  
  •