Produtores de cana da região noroeste paulista estão otimistas com safra mais lucrativavoltar

Publicado em : 23/05/2017
Produtores de cana da região noroeste paulista estão otimistas com safra mais lucrativa
Produtores da região estão otimistas com a safra 2017 (Foto: Reprodução/TV TEM)

Os produtores de cana-de-açúcar do noroeste paulista estão na contramão da expectativa do mercado, e esperam uma safra mais lucrativa este ano. A safra da cana começou com expectativa de moagem de 585 milhões de toneladas na região centro-sul do país. A projeção da Unica, a União da Indústria de Cana-de-açúcar, indica queda de 22 milhões e 14 mil toneladas em relação a safra anterior.

O mapeamento da lavoura, feito a partir de imagens de satélite, aponta para uma redução de aproximadamente 1,5% na área disponível para colheita em 2017. Mas essa realidade enfrentada pelo centro sul em geral não é exatamente a mesma do noroeste paulista, a segunda maior região produtora do Estado.
Na região, os produtores estão otimistas com a safra. Em uma fazenda em Elisiário (SP), a colheita deve ser até 10% maior que a passada. “A gente está otimista pelo clima que vem ajudando bem e esperançoso no fator de aumento”, afirma o produtor Claudinei Rebelato.

O produtor José Vallerio investiu na reforma da plantação, e espera que a safra desse ano seja até 5% maior. “Tempo tem colaborado, uma chuva controlada, regular, se os preços se mantiverem, já vai ser bom para nós”, diz José.
As usinas da região noroeste de São Paulo também estão na contramão das expectativas. Elas devem moer mais que na safra passada. Em uma usina no município de Marapoama (SP) a moagem nessa safra será de 1,870 milhão toneladas, contra 1,816 milhão na safra passada.

Do volume total de matéria-prima a ser processada na safra desse ano, a Unica estima que 46,99% vai ser destinada à produção de açúcar. A produção esperada de etanol deverá somar 24 bilhões de litros, uma retração de 3,71% no comparativo com os 25,65 bilhões da safra passada. Deste total, quase 11 bilhões serão de etanol anidro, para ser adicionado na gasolina, e mais de 13 bilhões de litros de hidratado.

Para quem entende do assunto isso significa que o mercado deve se manter competitivo, principalmente em relação aos preços do combustível. “A gente tem safra grande ainda, com perspectiva de melhora com o clima, isso deve trazer uma produção boa e uma oferta maior e o preço ficará competitivo”, afirma o diretor de usina José Fernandes Rio.

Veja em: http://g1.globo.com/sao-paulo/sao-jose-do-rio-preto-aracatuba/noticia/produtores-de-cana-da-regiao-noroeste-paulista-estao-otimistas-com-safra-mais-lucrativa.ghtml

 


Fonte: G1
  • Imprima
    esse Conteúdo
  • Envie para
    um amigo
  • Compartilhar
    o conteúdo
  •  
  •  
  •  
  •  
  •