Toyota Mirai será importado ao Brasil, mas apenas para testes visando o etanolvoltar

Publicado em : 31/10/2017
Toyota Mirai será importado ao Brasil, mas apenas para testes visando o etanol

O Toyota Mirai será importado ao Brasil, mas de acordo com o jornal Estado de São Paulo, apenas para testes. O objetivo da marca japonesa não é comercializar o híbrido movido por células de combustível utilizando o hidrogênio. Na verdade, a ideia é seguir os passos já dados pela conterrânea Nissan com a tecnologia SOFC (Solid Oxide Fuel-Cell), que permite obter energia elétrica através da combinação de álcool com oxigênio nas referidas células.

Aqui, a Nissan já roda com um protótipo desenvolvido a partir da van NV200 para avaliação da tecnologia, que permite o uso de 100% de etanol ou este com mistura de até 55% de água, o que reduz ainda mais os custos de operação do veículo. Na Toyota, o Mirai se prestará ao mesmo serviço, servindo de plataforma de testes para a substituição do hidrogênio pelo etanol. As implicações na mudança seriam enormes, não só no Brasil, mas também nos EUA.

A primeira é em termos de custo, pois mesmo com o etanol “americano” obtido do milho e o nosso álcool proveniente da cana-de-açúcar, a diferença é enorme para o hidrogênio, que é muito mais caro de se obter, bem como necessita de logística e infraestrutura adequadas, que demandam muito investimento para sua manipulação segura. Já em relação ao etanol, o combustível vegetal é consumido em larga escala no país, concorrendo com a gasolina.

Já existe infraestrutura para sua produção e distribuição, sendo de baixo risco em termos de segurança e com custos bem inferiores. Com projetos como o SOFC da Nissan e um equivalente da Toyota, o Brasil pode se tornar o principal player no desenvolvimento de carros com células de combustível abastecidas com etanol ao invés de hidrogênio. Isso permitiria ao país criar um mercado local e exportar tecnologia e/ou modelos para outras regiões onde pelo menos a mistura álcool-água 45/55 poderia ser usada.

Além disso, outro benefício em substituir o hidrogênio nos carros com células de combustível é a redução no custo de produção dos mesmos, já que, ao contrário de modelos como Toyota Mirai, Honda Clarity e Hyundai Tucson Fuel-Cell, esse novo tipo de carro dispensa o uso de caríssimos tanques pressurizados de fibra de carbono e outros materiais compostos para armazenamento do combustível, utilizando-se assim tanques de plástico, já utilizados largamente em carros comuns. Não só o peso seria reduzido, mas o volume também. Assim, a complexidade dos projetos seria bem menor que a atual.


Fonte: Notícias Automotivas
  • Imprima
    esse Conteúdo
  • Envie para
    um amigo
  • Compartilhar
    o conteúdo
  •  
  •  
  •  
  •  
  •